Candidose ou candidíase oral (Sapinho)

Candidose ou candidíase oral (Sapinho)

07 Março 2016 - 11:12
Publicado em:

Sabe aquelas placas brancas dentro da boca do bebê com um aspecto que lembra requeijão. Seu bebê pode estar com sapinho. 

Fique atento aos sintomas do sapinho [Crédito: Scott SM / photo on flickr]

Várias são as doenças que podem acometer crianças e recém-nascidos e um exemplo que podemos dar é a candidíase oral, conhecida popularmente como sapinho. No caso da candidíase oral (Sapinho) é mais comum em bebês de até 2 meses de idade, mas pode dar em crianças mais velhas também. Essas enfermidades, quando adequadamente tratadas, não representam maiores riscos para a saúde do seu filho(a).

Os fungos da família "cândida" estão presentes em nossa boca, língua e trato digestivo e é o nosso sistema imunológico que fica responsável por manter a quantidade de fungos equilibrada. O problema começa quando a imunidade baixa e a população de fungos cresce ininterruptamente. Quando numa quantidade maior que a normal, esses micro-organismos atacam as camadas mais profundas da pele e mucosas, provocando inflamações. Em um grau mais avançado, a candidíase oral pode afetar órgãos internos, como coração e sistema nervoso, mas para isso é necessário que haja uma imunossupressão em grau elevado. Para que a doença surja na boca, como é comum em alguns grupos de pacientes, não é necessário que essa baixa na imunidade seja assim tão expressiva. 

As lesões surgem como placas brancas, com um aspecto que lembra requeijão e espalham-se por toda a boca, língua e amigdalas. No começo, são assintomáticas e podem até mesmo passar despercebidas. Mas com o tempo, elas tendem a aumentar, causando dores, diminuição do paladar e uma sensação de algodão na boca.

Para tratar a doença, em sua fase inicial, o pediatra poderá prescrever um antifúngico para o bebê. Às vezes os médicos recomendam a aplicação de uma pomada antifúngica nos mamilos da mulher caso ela esteja amamentando, para que a infecção não fique passando do bebê para a mãe e da mãe para o bebê. Daí a importância de procurar um médico assim que notar os primeiros sintomas.

No caso do seu bebê, é necessário estar sempre atento a quaisquer alterações que possam ocorrer em parte do seu organismo.