10º mês do bebê - Os primeiros passos

10º mês do bebê - Os primeiros passos

17 Junho 2015 - 09:35

A maior evolução do desenvolvimento dos bebês é quando eles dão os primeiros passos e começam a andar. Será a primeira de muitas aventuras e você deve acompanhá-lo

Primeiros passos do bebê [Créditio: Ly Thien Hoang (Lee) / photo on flickr]

O bebê já se apóia no que está ao seu redor e consegue se levantar sozinho, passando longos períodos em pé. O próximo passo do desenvolvimento é, justamente, dar os primeiros passos. E isso envolve dois fatores. Um deles é o físico, pois a musculatura e a coluna vertebral precisam estar prontas para sustentar o bebê de pé. Emocional por que andar é uma questão de confiança. Imagine que ele não faz ideia de que pode se locomover sozinho e nem o que vai acontecer se soltar a mãozinha. Claro que você pode incentivá-lo, mas nunca o force. Respeite o ritmo do seu filho. Alguns bebês começam a andar mais cedo e outros, só depois de completarem um ano. O uso dos andadores gera um pouco de controvérsia; alguns especialistas dizem que os pequenos ficam mais preguiçosos eque esses acessórios até oferecem certo perigo, pois podem virar e machucar o bebê. Outros acreditam que o andador estimula o desenvolvimento. Antes de adquirir um, converse com seu médico e avalie a opinião dele. 

Você está presente na vida dos filhos?

Sabemos que, geralmente, pais trabalham mais que as mães e passam menos tempo com as crianças (apesar desse quadro estar mudando bastante). Pois é, cara, a sua ausência pode ser desastrosa para o pequeno. De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade de Amsterdã, na Holanda, quanto menos tempo os pais ficam com as crianças, há mais chances delas se tornarem materialistas. Isso por que a criança tende a compensar a carência se apegando a brinquedos, eletrônicos e presentes. E, claro, a gente sabe que pais ausentes também tendem a matar a culpa dando mais presentes. Das 466 crianças estudadas, apenas 18% das crianças que são cuidadas por avós ou babás trocaram um passeio por um brinquedo. Já 76% das crianças que ficam pelo menos meio período com os pais, largaram tudo sem hesitar. Então, pense na consequência disso a longo prazo. A ausência dos pais na criação, além de mudar valores, pode trazer insegurança. Isso não quer dizer que você deve largar o trabalho, mas sim, aproveitar ao máximo o tempo em que estão juntos. Nada de celular e tablet na hora da brincadeira, ok?