1 ano e 9 meses – Dormindo fora de casa

1 ano e 9 meses – Dormindo fora de casa

17 Junho 2015 - 09:40

Cada vez mais perto dos dois anos, a criança já tem mais independência e conseguirá passar algum tempo longe da mãe. Como fazê-la entender que você sempre irá voltar?

Com 1 ano e 9 meses, as crianças já se mostram maduras  para ficarem longe da mãe por um período mais longo. Podem até dormir fora, na casa dos avós, enquanto os pais saem para namorar um pouquinho. Mesmo assim, os momentos de cobrança de atenção ainda existem e o “grude” com a mãe também. Para que seu filho entenda que você sempre irá voltar, tente um joguinho. Deixe-o brincando e diga que aparecerá de novo depois de um tempo. Conte esse período e volte fazendo uma festa. Faça isso algumas vezes, até ele perceber que você pode se afastar, mas sempre estará por perto.

Para lidar com a teimosia dessa fase, crie rotinas cada vez mais fixas. A soneca, o almoço e o jantar precisam ter horários pré-determinados. Não abra espaço para que ela continue dizendo “não” para tudo. Negocie algumas coisas, como a roupa, por exemplo, mas deixe claro que programas importantes, como o banho, irão acontecer. Lembre-se de manter as frases na afirmativa. Ao invés de “vamos tomar banho?” diga: “você vai brincar um pouco e depois é hora do banho!”.

Nas brincadeiras, ele irá tentar cada vez mais extrapolar os limites. Procure locais seguros para ele brincar e explorar suas habilidades. Você perceberá que ele gostará de escalar, subir, pular. Deixe, contanto que não exista risco de machucados graves. Tombos irão existir e você não conseguirá prevenir todos, mas mantenha os olhos atentos para nenhum acidente sério acontecer. Todas as brincadeiras devem ter supervisão!

Brincadeira de menino e menina

Até os 4 anos, as crianças ainda não diferem meninos de meninas com tanta precisão, podendo se interessar por brincadeiras que são ditas do sexo oposto. Você se incomoda se seu filho brincar de cozinhar? Ou se sua filha querer brincar de carro? Nas escolas, as crianças estão aprendendo a dividir brinquedos com os amigos e é normal que tenham curiosidade justamente por aquilo que não têm em casa. E é mais comum ainda os filhos quererem imitar os pais, como cozinhar, usar maquiagem, pregar um prego na parede, lavar o carro, etc. Pois bem, isso não tem nada a ver com a escolha sexual futura deles, ao contrário do que muitos pensam. Aliás, isso apenas ajuda a conhecer mais o mundo (aquele universo amplo que fica além da nossa casa, sabe?). Essa exploração é muito importante para as descobertas e desenvolvimento deles. Não reprima, deixe que se expresse.