Entenda como é o ciclo menstrual

Entenda como é o ciclo menstrual

25 Abril 2016 - 17:59
Publicado em:

Entender sobre o ciclo menstrual é essencial para um maior conhecimento acerca da saúde da mulher. A maioria das mulheres, após alguns ciclos, já conhecem um pouco da natureza do seu fluxo, como quantidade e duração. Mas hoje, vamos explicar o que acontece nos corpos femininos durante todo o período de preparação e após a menstruação.

O ciclo menstrual [Crédito: zubrow / photo on flickr]

Todas as mulheres já nascem com uma grande quantidade de óvulos nos ovários, que são fabricados na gestação, quando ela ainda é um feto. Essa quantidade é a totalidade de óvulos que a mulher terá nos seus ciclos menstruais até o fim da vida, por isso, a partir de uma idade existe uma diminuição da fertilidade e pausa da menstruação. Os ciclos menstruais iniciam quando os óvulos começam a amadurecer, geralmente entre os 10 e os 14 anos de idade das meninas.

O óvulo, então, é transportado ao útero através da trompa de Falópio. Se fecundado, ou seja, fertilizado por um espermatozoide, o óvulo continua ali no útero, se multiplicando para gerar o bebê. Caso contrário, o óvulo e o revestimento do útero são dissolvidos e eliminados pelo sangue, o que chamamos de menstruação.

O ciclo menstrual

Cada ciclo dura em média 28 dias, porém esse número pode variar de acordo com a mulher. O ciclo menstrual abrange desde o início da menstruação até a próxima menstruação. As mulheres, portanto, vivem em um looping de ciclo menstrual, onde assim que um acaba, o outro começa em breve. 

Antes da ovulação

O hormônio de estimulação de folículos é o responsável pelo amadurecimento dos óvulos. Ele é produzido pela glândula pituitária, que fica no seu cérebro, nos primeiros dias do ciclo. Esses folículos possuem óvulos não desenvolvidos, e devido ao aumento de folículos, o baixo nível de estrogênio do início do ciclo começa a crescer gradativamente. 

Um dos folículos vai se tornar o dominante, geralmente por se desenvolver de forma mais rápida. Com o aumento do estrogênio, a camada interna do útero também fica mais espessa para aconchegar o óvulo fertilizado. 

Ovulação

O hormônio luteinizante (LH), uma secreção da hipófise, é o responsável pela liberação do óvulo através do rompimento do folículo. O aumento dos níveis desse hormônio é causado pelo aumento do estrogênio, que está acontecendo desde o início do ciclo. Nessa fase, o alto nível de estrogênio também causa uma mudança na textura do muco localizado entre o útero e a vagina. Normalmente mais espesso e quase impenetrável por espermatozoides, ele se torna, no período de ovulação, mais fino e transparente, possibilitando a fecundação.

A fase de ovulação varia de acordo com o ciclo de cada mulher. Estima-se que ela aconteça por volta da metade do ciclo, no entanto, não há nenhum sinal físico comprovado que possa garantir que a mulher esteja ovulando. A melhor maneira de saber é controlando o ciclo e estimando possíveis resultados.

Após a ovulação

O corpo passa a produzir progesterona, que retoma a característica espessa e impenetrável do muco entre a vagina e o útero. Devido à ação desse hormônio, acaba a fase de ovulação

Se houver fertilização, o óvulo desce até o útero através da tuba uterina e é aconchegado no endométrio, aquela camada espessa do útero que comentamos anteriormente. Caso não haja fecundação, o óvulo passa a se desintegrar e a quantidade de estrogênio e progesterona diminui.

A partir daí, o hormônio prostaglandina passa a ser produzido. Ele é o responsável pelo rompimento do endométrio, que é expulso pelo útero após esse processo. Esse revestimento e o óvulo não utilizado são descartados pela menstruação, momento em que começa um novo ciclo.