Bebês no comando: Filosofia de criação com rotina voltada para o bebê

Bebês no comando: Filosofia de criação com rotina voltada para o bebê

13 Maio 2016 - 23:00
Publicado em:

Não é obrigatório ter rotinas definidas pelos bebês, pois elas se adequam bem em alguns casos. Se você gosta de criar rotinas e hábitos mais dinâmicos, sem engessamento de tarefas, pode ser que esse método seja ideal para a sua casa. Escolha a rotina que se encaixa ao seu temperamento e ao do seu filho, e, se for necessário, faça ajustes até que ela se torne personalizada.

Qual é a melhor rotina? [Crédito: magic4walls]

As rotinas definidas pelo bebê

Rotinas definidas pelo bebê são práticas feitas por meios de sinais da criança. Nesse caso, ao invés de você estabelecer os horários de alimentação, brincadeiras e descanso, é o bebê que ditará a rotina. É um método bastante flexível, já que a criança criará as demandas, cabendo aos pais observar os seus sinais.

As rotinas criadas pelo bebê tornam o dia mais imprevisível. São ótimas para quem gosta de fazer suas tarefas sem hora marcada. Em um primeiro momento, a criança mantém uma rotina regular, mas depois você perceberá que ela tende a variar no horário das atividades. Se o bebê costuma dormir às 19 horas, ele pode mudar seu horário a qualquer momento, e passar a dormir às 20 horas. Além disso, a quantia de vezes que ele se alimenta pode diminuir, o ritmo das brincadeiras pode aumentar etc.

Especialistas e pais que defendem a rotina definida pelo bebê afirmam que ela valoriza o que realmente importa, ou seja, as demandas da criança e sua necessidade de comunicação. Uma rotina pré-definida, alegam eles, supre uma demanda dos pais, o que é errado. Além disso, os bebês variam em personalidade e características, e um método único para todos não funcionaria bem.

Vantagens e desvantagens

Pais que aplicam esse método afirmam que a observação constante do bebê melhora a conexão entre eles. Essa proximidade gera um aprimoramento da intuição dos pais, algo que é essencial para compreender o filho. A criança, com o passar do tempo, sente-se mais feliz devido à compreensão que os pais têm delas.

A rotina definida pelo bebê também deixa a agenda pessoal dos pais mais flexível, porque não existirá uma lista de regras fixas que devem ser cumpridas em horários determinados. Em função das necessidades dos pais ou das crianças, uma rotina assim permite mais variações. Os pais também afirmam que seus filhos passam a se adaptar com mais facilidade, porque não aprenderam com rotinas estáticas.

Críticos da rotina definida pelo bebê afirmam que as mães normalmente não têm tempo para si mesmas. Devido à preocupação em estar conectadas aos bebês, tentando suprir as necessidades deles, a rotina materna acaba se tornando uma maratona. A princípio também é difícil ler a criança. Por exemplo, quando ela chora, haverá a dificuldade de saber o motivo.

Outra desvantagem é a necessidade de estar sempre perto do bebê. Mulheres que trabalham fora enfrentarão muitos problemas. Principalmente porque apenas os pais conseguirão saber o que a criança quer, e isso os impossibilita de deixá-la com outras pessoas. O bebê pode ainda se tornar mais dependente dos pais, ao vê-los como os únicos capazes de satisfazer suas necessidades.