Como a relação entre irmãos pode ajudar no desenvolvimento infantil

Como a relação entre irmãos pode ajudar no desenvolvimento infantil

24 Julho 2019 - 15:04
Publicado em:

Atualmente, no mundo ocidental, cerca de 80% das crianças têm irmãos. Essa relação fraternal é uma das mais importantes na vida de uma pessoa, pois é carregada de significados e geralmente se traduz em vínculos emocionais muito importantes. Nesse texto, exploraremos as formas pelas quais a relação com irmãos pode ajudar no desenvolvimento de uma criança.

Criando e fortalecendo as bases da convivência

Acesse nosso site!
 
Atualmente, no mundo ocidental, cerca de 80% das crianças têm irmãos. Essa relação fraternal é uma das mais importantes na vida de uma pessoa, pois é carregada de significados e geralmente se traduz em vínculos emocionais muito importantes. Nesse texto, exploraremos as formas pelas quais a relação com irmãos pode ajudar no desenvolvimento de uma criança.

Nas pesquisas acadêmicas, as relações entre os irmãos e as consequências delas no desenvolvimento das crianças não foi estudada a fundo até o início dos anos 1990, quando os pesquisadores começaram a enxergar a relação fraternal como parte fundamental da família; em alguns casos, inclusive, o vínculo entre irmãos é até mais significativo que a relação com os pais.

O vínculo com irmãos tem a característica de não ser “escolhido”, como acontece com os amigos. Ou seja, os irmãos são pessoas com as quais a criança compartilha a casa e o dia-a-dia sem terem feito essa decisão, e isso inevitavelmente faz com que ela precise aprender a negociar os afetos e a lidar com eventuais conflitos.

 

Compartilhar com irmãos: criando e fortalecendo as bases da convivência

 

O contato com os irmãos, por ser duradouro, proporciona as bases de convivência em sociedade, ensinando às crianças valores como o compartilhar, dividir, argumentar, enxergar melhor sua individualidade, defender os próprios pontos de vista etc. Por isso a relação fraterna é essencial para ensinar as crianças a conviver desde a primeira infância.

De acordo com um estudo feito na Universidade de Calgary, no Canadá, um fator que influencia bastante no convívio entre irmãos é a diferença de idade. Quanto mais anos de diferença de um para o outro, maior é a tendência de o irmão mais velho ter “mais autoridade” e maior influência sobre o mais novo.

Outro aspecto levantado por essa pesquisa é em relação à responsabilidade: o que geralmente acontece com esse irmão mais velho é que ele, com a chegada do mais novo, precisa ajudar a administrar as tarefas e cuidar do irmãozinho, o que auxilia no desenvolvimento do seu senso de cooperação e cumplicidade com o próximo.

Diferentemente da relação com os pais, que costuma ser mais vertical e que parte do princípio de autoridade, a troca entre os irmãos tende a ser horizontal, o que significa, pelo menos na prática, que todos têm os mesmos direitos e deveres.

É claro que no dia-a-dia nem sempre essa horizontalidade se aplica totalmente. É comum que um casal que tenha duas ou mais crianças precise lidar com a “disputa” por carinho, com ciúmes, brigas e até mesmo abusos. Por esse motivo que cabe aos pais mediar ao máximo esses conflitos e, não só isso, incentivar e fortalecer os vínculos entre os irmãos.

Se os pais sabem administrar as situações de desequilíbrio e distribuem bem tanto a afetividade quanto as responsabilidades para os filhos, eles ajudam a criar um ambiente favorável e saudável para o desenvolvimento das crianças com seus irmãos.

No entanto, também cabe aos pais e responsáveis oferecer mecanismos para que as próprias crianças resolvam as questões entre elas; isso também ajuda diretamente no amadurecimento e na criação da noção de responsabilidade perante o outro. E isso se faz respeitando a individualidade dos filhos, compreendendo que cada um deles é um universo singular e que a partir do convívio com irmãos eles desenvolvem capacidades de cooperar, convivendo de maneira saudável e equilibrada.

Fontes:

https://paisefilhos.uol.com.br/familia/a-importancia-de-ter-um-irmao/

http://www.enciclopedia-crianca.com/relacoes-entre-pares/segundo-especia...

http://hemocord.com.br/magazine/irmaos-na-infancia-e-adolescencia/

http://www.neurokinder.com.br/2017/09/irmaos-influenciam-no-desenvolvime...